Eder ahmad charaf eddine

Professor Adjunto da Universidade Federal do Tocantins - UFT. Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, especialização em Educação e Sociedade e em Psicopedagogia, mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - UFMS, doutorado em Educação, área de concentração Psicologia e Educação, pela Universidade de São Paulo - USP e estágio de pós-doutorado realizado no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Sociedade - PPGCom/UFT. Atualmente é coordenador do Núcleo Tocantins da Associação Brasileira de Ensino de Psicologia - ABEP e associado na Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional - ABRAPEE e na Sociedade Brasileira de Psicologia - SBP.

É vice-líder do grupo InfanSCientia: Grupo de Estudos e Pesquisas em Infância, Cultura e Ensino das Ciências - UNIPAMPA e pesquisador nos grupos Trabalho e Emancipação: coletivo de pesquisa e extensão - UFT e GEPPE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA EM PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO - UFMS. Atuando nas seguintes linhas de pesquisa: Aprendizagem e Organização do Trabalho Pedagógico em Ensino das Ciências; Trabalho e Saúde; e, Processos Educativos e psicologia.

Suas pesquisas estão voltadas para a área da Educação, atuando principalmente na interface entre Psicologia e Educação, com investigações sobre Ensino e Aprendizagem em diversos contextos, Formação de Professores, Trabalho e Prática Docente, Cultura e Educação, Teoria Histórico-Cultural e Manuais Didáticos.

Projetos de pesquisa em andamento:

As narrativas do trabalho do professor: os ditos nas mídias nacionais e locais

Descrição: O trabalho do professor vem sofrendo diversas modificações e transformações ao longo da história e, atualmente, é notório o termo crise para descrever a profissão, o que gera angústias e desconfortos nos profissionais, podendo trazer sofrimentos ao educador, que vê como incerto o seu futuro profissional. A profissão docente está marcada por pressões cotidianas, salas lotadas, salários baixos, carga elevada de trabalho e o desgaste político e social. Também são diversas as formas de violência que acarreta o profissional e o seu local de trabalho. O objetivo da proposta é investigar as narrativas sobre o trabalho docente nas mídias nacionais e tocantinenses. Para tanto selecionamos a Folha de São Paulo e o Jornal do Tocantins. A interpretação das narrativas será a partir dos fundamentos da Psicodinâmica do Trabalho e da Análise de Conteúdo Temático-Categorial.

Coordenador: Eder Ahmad Charaf Eddine

Integrante: Liliam Deisy Ghizoni

As vozes da resistência: os periódicos ChanaComChana e Lampião da Esquina e a luta contra a violência LGBT no período da Ditadura Brasileira (1978-1987)

Descrição: O aparato repressor no período da ditadura civil e militar brasileira (1964-1985) serviu para intimidar diversas vozes, entre elas as dos movimentos gay e lésbico. Contudo, essas vozes não se calaram, manifestando-se de diversas formas, como na criação de grupos políticos, nos guetos, nas artes e, também, na criação de jornais. A partir da análise do discurso foucaultiana, pretende-se compreender as manifestações de resistências a partir dos periódicos Lampião da Esquina (1978-1981) e ChanaComChana (1981-1987). Ambas as publicações foram produzidas e circuladas em um período de perseguição contra a população LGBT e representaram resistência e luta. Tais iniciativas apresentavam matérias sobre diversos temas, como crítica literária, política, reportagens e notícias da cena gay, lésbica e transexual, mostravam os lugares destinados a essa população e as correspondências para encontros, sexos e amizades.

Coordenador: Eder Ahmad Charaf Eddine

Integrantes: José Eduardo de Azevedo Gomes Rodrigues, Thamires Rosa Costa Lima e Aline de Jesus Sena